Estudantes da USP criam game com drone que percorre o corpo humano

O objetivo é mostrar os sintomas das doenças e como preveni-las. O projeto foi premiado no Hacking Health Ribeirão Preto – HACKATHON, movimento mundial que estimula a inovação na área da saúde. Na foto o grupo que desenvolveu o game.

Grupo formado por alunos da USP de Ribeirão Preto desenvolveram projeto chamado NanoDrone Medical, um jogo para tablet e celular, na qual o jogador controla um drone – veículo aéreo não tripulado – que entra no corpo de um paciente para combater as bactérias ou vírus.

gabi_ hacaton 4Conforme o jogador perde, é apresentado os sintomas mais sérios da doença e, no fim de cada fase, mostra as formas de prevenção da doença combatida. “Será um dos primeiros jogos em que a jogatina ocorre dentro do corpo humano”, afirma um dos integrantes, o graduando do curso de Física Médica Matheus Bigatão Martinelli (foto), da Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) da USP.

Segundo o graduando, o jogo será uma maneira divertida dos jovens se conscientizarem sobre as doenças e ainda conhecer a parte interna do corpo humano. “ A ideia surgiu por conta da falta de conhecimento que muitas pessoas têm sobre as doenças, causando um maior número de mortes por causa do diagnóstico tardio”.  O jogo ainda está em desenvolvimento e a previsão é que o lançamento aconteça em 2017 ou 2018. “O nosso foi um dos três projetos com promessa de apoio de um grande grupo empresarial na Área da Saúde em Ribeirão Preto. Estamos aguardando o cantato”, diz Martinelli.

Além do futuro físico médico, também participaram do projeto os designers de games Luiz Henrique Vallim e o Yuri Issicaba, o pós-graduando Alexandre Kanashiro da Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP) da USP e a enfermeira Bruna Moreno Dias da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP) da USP.

De acordo com Martinelli, existem alguns jogos que também buscam educar os jogadores, porém a maioria deles não tem qualidade, se tornando jogos pouco atrativos. “Nós priorizaremos a qualidade e a diversão para que o jogo tenha um maior impacto já no lançamento”, conta.

Premiação

Os alunos da USP de Ribeirão conquistaram no final de outubro, o prêmio de projeto mais criativo no Hacking Health Ribeirão Preto – HACKATHON, um movimento mundial sem fins lucrativos que estimula a inovação na área da saúde, por meio da união de profissionais da tecnologia e saúde.

No evento, os projetos são desenvolvidos durante o fim de semana e os grupos recebem mentoria de especialistas para que os participantes possam melhorá-los. E no último dia, uma banca avaliadora julga os melhores projetos, que serão premiados. Foi desta maneira que o NanoDrone Medical foi desenvolvido. “O melhor prêmio foi ver que o nosso projeto ganhou de vários outros feitos por pessoas mais velhas e com mais experiência do que nós. O nosso grupo era um dos menores e também éramos os mais jovens”, comemora Martinelli.

Mais informações: matheus.martinelli@usp.br

Por: Gabriela Vilas Boas com informações do site eventbrite.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *