Obra traz relato de novas experiências em educação na área da saúde

Pesquisadores brasileiros lançam o livro Educação baseada na Comunidade para as profissões da Saúde: aprendendo com a experiência brasileira. Ed.  FUNPEC, 297 páginas, 2014 e recebem convite da Organização Panamericana da Saúde (OPAS) para traduzi-lo para o inglês e espanhol.livro valdes bollela A obra, organizada pelos professores Valdes Roberto Bollela, da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP, Ana Claudia Camargo Gonçalves Germani, da Faculdade de Medicina (FM) da USP, capital,  Henry de Holanda Campos, da Universidade Federal do Ceará (UFC), e Eliana Amaral, da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), conta a experiência da Educação Baseada na Comunidade (EBC) de dezessete escolas da área de saúde do Brasil, entre elas a FMRP-USP, e foi lançado no Congresso da Network – Towards Unit for Health , em novembro de 2014 na cidade de Fortaleza, Ceará.

Da FMRP, o professor Bollela conta que foi relatada a experiência de implantação do eixo de urgências e emergências do Curso de Medicina, que tem um forte componente de educação baseada na comunidade, e é referência para o Brasil. “Essa implantação antecipou as novas Diretrizes Curriculares dos Cursos de Medicina, que foram publicadas em julho de 2014”.

Bollela diz que Educação Baseada na Comunidade é uma diretriz internacional para organização de currículos dos cursos de graduação da área da saúde, em especial os de Medicina. “Até o final do século passado, recomendava-se o ensino de medicina em hospitais escola. Este cenário de prática ainda é muito importante na formação médica, mas desde a publicação das diretrizes curriculares dos cursos de graduação em medicina de 2001, existe uma recomendação expressa para haja diversificação dos cenários de ensino-aprendizagem dos estudantes, para que esses cenários sejam representativos da realidade que o aluno encontrará após graduar-se médico”, diz.

Segundo o professor as escolas pioneiras em diversificar esses cenários foram as aquelas que implementaram os estágios rurais e, na sequência, o movimento ampliou-se com as iniciativas que induziam a integração docente-assistencial (IDA). “Esse é um movimento mundial e está registado no primeiro livro da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre este assunto e onde encontramos um capítulo que conta a história da Educação Baseada na Comunidade da FMRP-USP. O livro da OMS conta com experiências de diferentes continentes sobre o tema. A partir desta publicação, um grupo de educadores médicos brasileiros resolveu escrever sobre a rica experiência brasileira neste campo, tendo como foco a educação baseada na comunidade no contexto do Sistema Único de Saúde (SUS) brasileiro”, afirma. O livro da OMS pode ser acessado aqui.

O professor lembra que muitas escolas ampliaram significativamente suas práticas de EBC nos últimos dez anos, e outras tantas estão trilhando este caminho neste exato momento. “Esperamos que esta publicação possa auxiliar professores, estudantes e gestores do Sistema Único de Saúde envolvidos na implantação ou revisão de currículos que aproximam o futuro profissional do sistema de saúde onde ele vai atuar, após o término de sua graduação”, relatam os autores na apresentação da obra.

As versões em inglês e espanhol devem ser lançadas ainda no primeiro semestre de 2015. O livro eletrônico em português, pode ser baixado gratuitamente aqui.

Já os interessados em adquirir uma cópia impressa da edição brasileira podem solicitar pelo e-mail amattos@hcrp.usp.br ou bollela@gmail.com, custo R$ 20,00 livro + R$ 10,00 correio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *