Projeto da USP resgata passado de cidades do interior paulista

Palacete Paschoal Innecchi, em Ribeirão Preto que foi construído em 1938 – Foto: www.acidadeon.com

Cenas históricas serão projetadas em locais públicos, além de diversas ações culturais, para comemorar o Dia Internacional dos Museus em 18 de maio

Ribeirão Preto, Mococa, Araraquara e Sertãozinho terão projetadas imagens históricas de seu passado na comemoração do Dia Internacional dos Museus, 18 de maio. O evento Fachadas do Tempo e Acervos Históricos quer mostrar, além da história da cidade, a importância dos museus por meio de “exposições participativas”. Às 19 horas nesse dia, começam as projeções simultâneas nas quatro cidades.

Além do show de imagens, a data será comemorada com diversas atividades e ações culturais (confira abaixo os locais das projeções e as demais atividades).

Fachadas do Tempo e Acervos Históricos faz parte do “Projeto para Museu-Arquivo-Biblioteca no interior de São Paulo: instituições na Projeção do Passado”, desenvolvido e coordenado pela professora Silvia Maria do Espírito Santo do curso de Ciências da Informação e da Documentação, da Faculdade de Filosofia, Ciência e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) da USP, com apoio das bolsistas Sara Louise Caroni e Adriana Gastaldi, do Programa Unificado de Bolsas de Estudo para Estudantes de Graduação (PUB) USP.

O projeto é uma parceria da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) da USP com as prefeituras das cidades participantes e conta com participação de alunos, agentes culturais, voluntários e os governantes municipais e estaduais. “Acreditamos na sustentação, manutenção e continuidade das institucionais curadoras a partir da multidisciplinaridade, com vigorosas pesquisas científica, artística e histórica” conta a professora Silvia.

Ribeirão Preto

Restaurante do Campus, foto de Cecília Bastos/USP Imagens

Em Ribeirão Preto, a projeção será na rotatória do bambuzal, em frente a Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCFRP) no Campus da USP. As imagens serão projetadas em espaço aberto e vão remeter à memória do Campus e da cidade. Serão “fantasmas” de personagens e objetos, no sentido das trilhas do passado histórico e museológico. As fotos são do acervo do Arquivo Público da cidade.

Mococa

Fachada da Prefeitura Municipal de Mococa/Google

Com apoio da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e da Prefeitura Municipal de Mococa, as projeções foram selecionadas no arquivo do Museu Histórico e serão no prédio da Antiga Escola da Sociedade Italiana, Rua Muniz Barreto, 54; terá também uma roda de conversas.

Sertãozinho

Legenda: Fachada do Centro Cultural de Sertãozinho/Google

A partir das 18 horas, professores da rede estadual de ensino que atuam na cidade participarão de oficina do projeto “O Museu na Escola, a Escola no Museu”. Na oficina, será debatido o papel social do museu para a comunidade em geral e a escola, e como alunos e professores podem utilizar os museus, seja como espaço de cultura, lazer de qualidade, estudo e encontro.

Já as projeções, serão de imagens da vida e obra de José Antônio Rossin, ilustrador da cidade e responsável pela adaptação de obras de José de Alencar para os quadrinhos, na década de 1950. Atualmente, seus desenhos originais, feitos em tinta nanquim, encontram-se no Centro Municipal de Memória (CEMM) de Sertãozinho. As atividades serão realizadas no CEMM, que fica na Rua Sebastião Sampaio, 1489.

Araraquara

Fachada da Prefeitura Municipal de Araraquara/Google

O evento em Araraquara começa às 9 horas, com ação comunitária para pintura de revitalização de pichações nas paredes externas do Museu Histórico e Pedagógico Voluntários da Pátria e no Monumento Fonte-Chafariz.

As projeções, a partir das 19 horas, serão do documentário Araraquara – Memórias de uma Cidade”. Ao mesmo tempo, na fachada da Escola Antônio Joaquim de Carvalho, que comemora 100 anos em 2018, será projetada imagem fotográfica de uma colheita de café em referência ao Coronel Antônio Joaquim de Carvalho, fazendeiro de café do município, envolvido no crime hediondo que causou pecha injusta para Araraquara que ficou conhecida como ‘Linchaquara’.

O áudio de uma locomotiva à vapor, sinalizando sua chegada com o tocar do sino, fará a ambientação da ação noturna, já que em 2018, se comemora 120 anos da ligação do trecho da linha férrea entre a estação ferroviária de Araraquara e a estação ferroviária do distrito de Bueno de Andrada.

As atividades e projeções serão todas na Praça Pedro de Toledo, Rua Carlos Gomes, 1610. O evento tem apoio da Associação de Bueno de Andrada para Cultura e Turismo Rural (Abatur) e da Secretaria Municipal de Cultura.

Dia Internacional dos Museus

Os museus são espaços culturais onde são apresentadas exposições de obras artísticas sobre os mais variados temas e estilos. Nele, é possível conhecer o universo da cultura; é um lugar em que as sensações, ideias, imagens e registro novos e antigos mostram os valores da sociedade e do ser humano.

O Dia Internacional dos Museus foi criado em 1977, a partir de uma iniciativa do Conselho Internacional de Museus (Icom), uma instituição que integra a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). O objetivo é incentivar a população ao hábito de visitar, apreciar os museus e conhecer a histórias dos seus antepassados. Para o Instituto Brasileiro dos Museus (Ibram), esse é um espaço fascinante onde se descobre e se aprende; nele se amplia o conhecimento e se aprofunda a consciência da identidade, da solidariedade e da partilha.

A equipe da professora Silvia já elaborou até um manual que pode ser usado pelas prefeituras que tiverem interesse em aderir ao projeto da USP nos próximos anos. O material orienta a organização do acervo e a montagem da estrutura necessária para as projeções. Acesse o manual completo aqui e para mais informações silesan@usp.br ou no (16) 3315-4873.

Por: Vitória Junqueira (com informações dos organizadores)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *