Empreendedorismo ganha espaço e muda vida de estudantes uspianos

Na foto, Marcelo Alexandre Santos (esq.), Érika Monteiro e José Carlos Bueno de Moraes – Foto divulgação

Após sucesso não premeditado do primeiro empreendimento, jovens apostam em startup

Em menos de seis anos, alunos do curso de Informática Biomédica criam dois negócios de sucesso. O primeiro foi o aplicativo Hoje tem frango, cuja marca foi vendida para uma grande empresa de alimentos. Agora os jovens empreendedores  Marcelo Alexandre Santos e José Carlos Bueno de Moraes estão no Supera Parque Tecnológico em Ribeirão Preto com a empresa Carefy e trabalham no desenvolvimento de software para acompanhamento de internação hospitalar.  

Marcelo e José Carlos dizem que é uma tarefa desafiadora uma operadora de saúde no Brasil ter controle e acesso a informações sobre internações hospitalares. Em contato com esse universo durante o curso de graduação, tiveram a ideia de criar o Carefy, software que leva o mesmo nome da startup. A plataforma atua na central de internação da operadora, local onde ficam a equipe multidisciplinar e seus gestores responsáveis. “Essas centrais são responsáveis pelo monitoramento dos pacientes internados. Enfermeiras auditoras realizavam o procedimento de coleta de informações de forma manual e descentralizada, o que pode levar a muitos erros, ausência e atraso nas informações que são fundamentais para a tomada de decisão dos gestores”, dizem.

Nesse universo entra o Carefy, que permite às enfermeiras contarem com um aplicativo mobile para captação dessas informações, que automaticamente vão para os gestores para análise e tomada de decisão. “As enfermeiras adicionam as informações no aplicativo e a central de internados tem os dados necessários para tomada de decisão em tempo real”.

No caso dos gestores, eles contam com indicadores estratégicos e gráficos com dados de internação e custo da operadora. O Carefy ainda gera alertas específicos sobre diagnósticos e tudo o mais relacionado ao doente. Essas informações chegam às mãos da equipe, auxiliando para que a tomada de decisão seja otimizada e mais assertiva para que o paciente possa ter alta o mais rápido possível.

Empreendedorismo por acaso

Em 2012, quando ainda eram alunos da Informática Biomédica, curso interunidades das Faculdades de Medicina (FMRP) e de Filosofia, Ciências e Letras (FFCLRP) ambas da USP em Ribeirão Preto, empreender não estava nos planos de Marcelo e José Carlos. Na época, os estudantes simplesmente buscavam facilitar a vida dos alunos da USP de Ribeirão Preto com a criação do aplicativo “Hoje tem frango”. “A gente nem sabia o que era empreender e nem pensava nisso, o empreendedorismo mudou nossa vida por acaso”, comenta Marcelo.

O utilitário Hoje tem Frango basicamente auxiliava os universitários com as rotas de ônibus que circulavam pela Universidade, além de mostrar o cardápio dos restaurantes do campus da USP. O programa teve impacto tão positivo que foi comprado por uma grande marca de alimentos nacional, assustando os próprios criadores do negócio. Segundo Moraes, a venda era algo que nunca foi esperado. “Recebemos a proposta e nem tínhamos a intenção de vender, mas o assédio foi tão grande que no dia seguinte já finalizamos o negócio”, relembra.

Já Santos frisa que a ideia começou de forma simples, e que por puro prazer e vontade de ajudar os alunos foi sendo melhorado. “Fomos aprimorando o aplicativo ao longo do tempo; começamos com um simples atalho no Google Chrome e depois tivemos mais de 6 mil downloads ativos com a ferramenta nos celulares”.

Contudo, mesmo após a venda da primeira ideia, o empreendedorismo não saiu da vida dos jovens, que fundaram um novo negócio. “Geralmente o empreendedorismo aparece em uma hora ruim na vida da pessoa, mas com bons sócios, amigos, apoio familiar e persistência o negócio tem tudo para dar certo”, aconselham os jovens junto com sua nova sócia, Érika Monteiro.

Empreendedorismo como protagonista

Em 2018, o empreendedorismo atuará como protagonista no cenário de empregos nacional. Segundo estudo inédito do Banco Santander, somente neste ano, o Brasil vai gerar 2 milhões de novas vagas de ocupação, sendo que os trabalhadores por conta própria oferecerão metade das oportunidades.

Como destaca Marcelo Alexandre Santos, o empreendedorismo geralmente aparece em momentos de necessidades na vida do brasileiro, que busca formas para fugir do desemprego. Porém, empreender pode começar também nos momentos de oportunidade, quando ocorre a decisão de mudar de área e abrir um negócio próprio que parece promissor.

De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (PNAD) a captação do movimento do aumento de trabalhadores por conta própria só aumenta. No trimestre encerrado em fevereiro, por exemplo, houve um aumento de 977 mil trabalhadores nesta condição quando comparado com o mesmo período de 2017.

Mais informações: contatocarefy@gmail.com  

Por: Vitor Neves

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *