USP oferece capacitação de testes rápidos para diagnósticos de HIV, sífilis e hepatites virais

O objetivo é qualificar estudantes e profissionais para o uso de tecnologias para a realização de testes rápidos para a detecção de infecção viral 

Dias 10 e 11 de setembro Ribeirão Preto recebe o curso de Capacitação para Testes Rápidos para Diagnóstico HIV, Sífilis e Hepatites Virais. O curso, totalmente gratuito, tem a finalidade de qualificar estudantes e profissionais no uso de tecnologias disponíveis para a realização de testes rápidos para detecção de infecção viral. São disponibilizadas 20 vagas para cada turma, uma dia 10 e outra dia 11, com inscrições pelo e-mail  diversidade@usp.br.

A realização é uma parceria do Centro de Referência e Treinamento DST/AIDS, da Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo, com Programa da Organização das Nações Unidas – UNAIDS – Joint United Programme on HIV/AIDS e com a Universidade de São Paulo, por meio do Programa USP Diversidade da Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária. 

De acordo com a Coordenadora do Programa USP Diversidade e professora da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP) da USP, Ana Paula Morais Fernandes, essa iniciativa mostra o alcance da extensão consolidada em ações diretamente ligadas ao ensino e a pesquisa.  “A capacitação é mais uma prática instrumental utilizada para o fortalecimento da prevenção a essas infecções virais, assim, o UNAIDS, o USP Diversidade e o CRT-DST/AIDS ampliam suas ações por meio de agentes multiplicadores e buscam efetivo impacto social com alcance das metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas”.

O curso já foi oferecido em São Paulo, e capacitou 18 profissionais da saúde, atuantes da rede pública de atenção à saúde municipal, estadual, da Fundação Internacional AHF (Aids Healthcare Foundation) e da Universidade de São Paulo. Participaram enfermeiros, técnicos de enfermagem, farmacêuticos, odontólogos, entre outros, oriundos de diversas instituições e órgãos de atendimento à saúde. 

Para a coordenadora, o curso permitiu que profissionais atuantes na prevenção das IST/aids de diversos serviços de saúde, públicos municipais e estaduais ou fundações internacionais,  pudessem ser habilitados para fazer o laudo de diagnóstico e compartilhar suas experiências e vivências no atendimento à população vulnerável. “A capacitação promoveu aprofundamento sobre temas essenciais como acolhimento pré e pós testagem e aspectos éticos para a realização da testagem em diversos contextos. Certamente o curso tem o potencial de fortalecer os esforços para alcance das metas de redução da epidemia que nosso País está vivendo”. 

Segundo Ana Paula, o Ministério da Saúde calcula crescimento de 2.000% nos casos de sífilis nos últimos anos. As hepatites virais também se configuram como grandes desafios na saúde, com cerca de 657 mil  indivíduos com viremia ativa e possíveis transmissores de hepatite C no Brasil. Já para hepatite do tipo B, a soroprevalência é ainda maior. Para o HIV, o maior número de casos está entre homens que fazem sexo com homens (HSH).  

Em Ribeirão Preto será no Centro de Referência em Especialidades Central “Enfermeira Maria da Conceição da Silva”, Rua Prudente de Morais, 35. 

Mais informações pelo diversidade@usp.br

Da redação, com informações da Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária da USP

Foto da pesquisadora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *