Biotecnologia é tema de debate no Supera Parque

As “Rotas tecnológicas da biotecnologia no Brasil” serão debatidas no Supera Parque de Inovação e Tecnologia, em Ribeirão Preto, nos dias 1º e 2 de outubro. O seminário, que está na 6ª edição, tem como objetivo discutir sobre as oportunidades do desenvolvimento e investimentos em biotecnologia no Brasil, promovendo o networking entre pesquisadores, profissionais e estudantes.

Com apoio da Fipase – Fundação Instituto Polo Avançado da Saúde (gestora do Supera Parque) e do CNPq, o evento é promovido pela InGTeC – Núcleo de Pesquisa em Inovação, Gestão Tecnológica e Competitividade, em parceria com a Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto (FEARP) da USP. “O objetivo principal é discutir as políticas de desenvolvimento da biotecnologia por meio de palestras e debates com especialistas nas áreas”, explica Saulo Rodrigues, gerente da Supera Incubadora de Empresas.

Serão temas de debates: as oportunidades e desafios em biomedicamentos e biossimilares; experiências de sucesso na aplicação da biotecnologia na agroindústria; tendências tecnológicas na biotecnologia; estratégias e desafios na prospecção tecnológica; e, o papel dos fundos de investimento na inovação biotecnológica. O evento tem como públicos-alvos empresários, empreendedores, pesquisadores e investidores de todo o país.

O investimento para participação é de R$ 30,00 (estudantes) e R$ 60,00 (profissionais). As vagas são limitadas e as inscrições podem ser realizadas até o dia 27 de setembro pelo site do Seminário. Informações: seminarioderotas@gmail.com ou (16) 3315-0735.

Supera Parque

O Parque Tecnológico de Ribeirão Preto é resultado de uma parceria entre a Fipase (Fundação Instituto Polo Avançado de Saúde), Universidade de São Paulo (USP), Prefeitura Municipal de Ribeirão Preto e Secretaria de Desenvolvimento do Estado de São Paulo e está instalado no Campus da USP local. Nele, estão instalados a Supera Incubadora de Empresas, o Supera Centro de Tecnologia, a associação do Arranjo Produtivo Local (APL) da Saúde, o Polo Industrial de Software (PISO), além do Centro de Negócios.

Entre incubadora e centro de negócios, já são 50 as empresas instaladas no Parque,  atuantes nas áreas: de biotecnologia, medicina humana e veterinária, tecnologia da informação, além de empresas no ramo de equipamentos médico-hospitalares, odontológicos e instrumentação.

Fipase – A Fipase, criada em 2001, por meio de lei municipal, atua no desenvolvimento da indústria de equipamentos e produtos de saúde em Ribeirão Preto, e no apoio aos setores de tecnologia da informação, biotecnologia, química, fármacos e cosméticos. Mantida pela Prefeitura Municipal de Ribeirão Preto, a Fipase é a gestora da marca Supera que dá nome à Incubadora de Empresas, ao Centro de Tecnologia e ao Parque Tecnológico.

Mais informações: (16) 98152-0398 ou  ana.cunha@medialink.com.br

Por: Assessoria de Imprensa da Supera Parque

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *