FORP ainda precisa de voluntárias com dores na face

A Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP) da USP ainda precisa de mulheres com Disfunção Temporomandibular (DTM) para serem voluntárias em pesquisa.

Podem participar, mulheres entre 18 e 60 anos, que não apresentem ausências dentais e não façam uso de anti-inflamatórios, antidepressivos e anticonvulsivantes. As voluntárias devem apresentar: dores na região da face, cabeça e/ou pescoço; Dores ao mastigar; Dores de cabeça frequentes; Sensação de cansaço muscular; Dores na Articulação temporomandibular (região próxima ao ouvido).

A pesquisa é conduzida pela pós-graduanda Carolina Almeida Rodrigues, com orientação do professor Marcelo Oliveira Mazzeto. As interessadas devem entrar em contato pelo celular (16) 9-8249-5000 ou pelo e-mail: rodriguesca@usp.br

Por: Rosemeire Talamone

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *